domingo, 21 de maio de 2017

[Para mãe que eu nunca tive]

Hoje de manhã você me acordou abrindo as janelas
pois sabe que é a unica maneira de me acordar.
Nós tomamos café juntas e você me atualizou sobre sua vida
disse que estava voltando a trabalhar e as coisas estavam indo bem.
Você me perguntou sobre meu namoro e eu disse que nos amávamos muito,
e logo complementei que ela tinha te mandado um beijo.
Você me ofereceu mais um pedaço de bolo, sem se preocupar com as calorias,
até porque você me ama do jeito que eu sou.
Você nunca me comparou com nenhuma namorada, ou nunca disse que estava
acima do peso. O peso nunca diminuiu o meu ser.
Eu me arrumei para ir para faculdade e você elogiou minha roupa,
disse que eu estava linda e eu não pude deixar de dizer que toda beleza vinha de você.
Me desejou boa aula e nunca comparou meus rendimentos com o meu irmão,
porque nós somos pessoas diferentes e logo temos habilidades diferentes.
E meu dia seguiu quente no coração como deveria ser.

No dia seguinte,
meu despertador tocou.
Você estava dormindo.
Nada de café.
Nada de elogios sinceros.
Julgamentos repetidos. Auto estima rasgada.
Realidade na cara.
Fui para faculdade,
Fria.

terça-feira, 25 de abril de 2017

cada vez que eu olho para o lado
eu te vejo cada vez mais longe
oi? você está me ouvindo?
fala um pouquinho mais alto
oi? eu não tô te vendo
depois a gente se fala
a gente se vive
a gente se beija
deixa pra depois
olha, alguns centímetros a mais
alguns metros furados dentro de mim
até quando eu ocuparei esse papel?
olha, tem um muro entre nós agora
quem vai derruba-lo primeiro?
você tem medo e eu, preguiça
ah, que saudade
vê se vem correndo com martelo e tudo
que eu não olho pra trás.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Hoje.

hoje eu acordei, me olhei no espelho, e não sorri pra mim.
o café que sempre me acolheu, hoje estava frio
nem o edredom mais aconchegante do mundo, me aqueceu. 
hoje eu acordei, e o céu, mesmo sem nenhuma nuvem, 
estava cinzento. 
hoje, parecia que todos os sinais estavam vermelhos. 
o tempo passou devagar, a saudade apertando a cada segundo. 
hoje, eu só queria ter visto quem já se foi. 
hoje, eu só queria o pedido de desculpas de quem nunca me pediu perdão. 
hoje, a terapia serviu de calmante pro que será que será que bate dentro de mim.
eu cheguei em casa e me senti uma estranha,
quem é você aí no espelho? 
aqui está vazio, uma roda gigante que vai, aos poucos, perdendo seus acentos,
acaba rodando sozinha. 
Hoje, eu acordei e quis viver,
mas só deu pra existir.